Abiquim 50 anos

Notícias

Como fazer a gestão de resíduos na construção civil?

29/07/2019

Como fazer a gestão de resíduos na construção civil?

Entulho, caliça ou metralha, as sobras da construção representam quase 50% de todo o lixo gerado no Brasil, ou seja, mais de 122 toneladas por dia. Atualmente, a falta de destinação adequada para materiais como pedregulho, aço, areia e argamassa compõe um grande problema ambiental, prejudicando o solo, a água e até mesmo os lençóis freáticos. Justamente por isso se faz tão importante a gestão de resíduos na construção civil!

A boa notícia é que os conceitos de sustentabilidade estão cada vez mais presentes no segmento. Nesse novo cenário, o Brasil já está em quarto lugar no ranking dos 10 principais países que mais desenvolvem construções sustentáveis, de acordo com a U.S. Green Building Council (USGBC), além de possuir a certificação internacional LEED - Leadership in Energy and Environmental Design, sendo um dos países com mais construções sustentáveis por m².

Em nosso país, a gestão de resíduos sólidos na construção civil é regulamentada pela Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) e a Resolução CONAMA 307/2002. Para atender a todas as normas, você, enquanto responsável legal pela obra, deve se certificar da destinação dos resíduos sólidos gerados, desde a estruturação até os acabamentos da construção.

Mas não se preocupe, nós preparamos um artigo completo para te ajudar com cada uma dessas etapas. Conheça os passos e pontos de atenção mais importantes da gestão de resíduos na construção civil!
 

Etapas da gestão de resíduos na construção civil
 

Planejamento da obra

Em conjunto ao projeto de arquitetura e engenharia do seu empreendimento, você também deve apresentar um Projeto de Gerenciamento de Resíduos da Construção Civil (PGRCC) para a análise do Poder Público Municipal.

Além de ser uma das condições para a aprovação da obra e a emissão do alvará de construção, o PGRCC também pode ser exigido no licenciamento ambiental. Dessa forma, para garantir a regularização e conformidade do seu projeto, a gestão dos resíduos deve ser considerada desde a fase de planejamento!

Vale ressaltar que o órgão fiscalizador competente da sua região pode comparar a quantidade estimada com a realizada de resíduos ao término da obra, portanto, a atenção nessa etapa é essencial para prevenir multas ou problemas nos documentos da sua construção!

Classificação, triagem e armazenamento

Durante a execução do seu projeto, a principal atenção deve ser com a classificação e separação dos resíduos no canteiro de obra, que deve contar com um espaço específico para o armazenamento temporário do entulho, até que ele possa receber uma destinação definitiva.

Esse processo deve obedecer às especificações técnicas, levando em consideração os riscos que os materiais podem oferecer ao meio ambiente e à saúde humana. Com isso em mente, defina o local para descarte de cada tipo de resíduo com identificação por categoria e especificação. A nossa dica é seguir a classificação determinada pelo CONAMA:

Classe Tipo Evento
A Resíduos que podem reutilizados como agregados na infraestrutura de outras obras Tijolos, telhas, cerâmica, blocos e tubos de concreto e argamassa
B Materiais que podem ser reciclados e ganhar outras destinações Vidro, gesso, madeira, plástico, papelão e outros.
C Resíduos que não são viáveis para recuperação ou reciclagem Estopas, lixas, panos e pincéis desde que não tenham contato com substâncias da classe D
D Itens que podem ser nocivos à saúde e ao meio ambiente Solventes, tintas, telhas e materiais de amianto, ou entulho que possa estar contaminado, proveniente de reformas em clínicas e instalações industriais

Descarte adequado

Por último, mas não menos importante, vem a etapa de descarte dos materiais. Seguindo os princípios da gestão de resíduos na construção civil, nunca envie todos os itens para a coleta de lixo sem avaliar antes se eles podem ou não ser reciclados e reutilizados!

Os resíduos da Classe A, por exemplo, podem ser reaproveitados na própria obra, te ajudando a economizar com a compra ou o transporte de materiais.

Já o que for realmente classificado como entulho, sem possibilidade de reutilização, deve ser destinado a uma área de descarte e tratamento de resíduos de construção que seja licenciada e fiscalizada pelos órgãos ambientais competentes, bem como capaz de te fornecer os certificados e documentos da devida descontinuação dos materiais.
 

Como minimizar a geração de resíduos sólidos na construção civil?
 

A correta gestão de resíduos na construção civil não só contribui com a preservação do meio ambiente, como também promove a economia, produtividade e um ambiente mais organizado, limpo e apropriado para a execução da obra.

Aqui, nós separamos algumas dicas simples que podem te ajudar com esse processo no dia a dia da sua obra:

 • Prepare seus funcionários para o manuseio, a classificação, a segregação e o descarte dos resíduos;
 • Conte com um layout de canteiro de obras apropriado para evitar perdas no transporte do depósito ao local de trabalho;
 • Tome os devidos cuidados no armazenamento dos materiais para evitar riscos de quebra e danos;
 • Instrua sua equipe a realizar o acompanhamento e reporte diário dos materiais e resíduos gerados, de forma que você possa acompanhar se os índices estão de acordo com o previsto;
 • Mantenha o canteiro de obras limpo;
 • Adote ações sustentáveis e promova o reconhecimento dos colaboradores que contribuírem com as suas iniciativas;
 • Escolha materiais sustentáveis e recicláveis como alternativas aos materiais tradicionais.

Em relação à última dica, não poderíamos deixar de mencionar o EPS Isopor®, uma das principais escolhas de engenheiros e arquitetos desde a estruturação até o acabamento das obras!

Leve, fácil de manusear, prático e 100% reciclável, o EPS possui inúmeras aplicações na construção civil, como telhas, forro, contrapiso, concreto leve, sancas, molduras e revestimentos. O material se destaca como uma tendência no segmento por sua sustentabilidade e por suas características técnicas, como a capacidade de isolamento térmico e acústico, durabilidade, resistência a impactos e prevenção contra mofo e umidade.

Assim, além de atender a todas as normas e aos padrões de qualidade do setor, o EPS contribui com a economia de mão de obra e a agilidade na execução de seu projeto. Quer saber mais sobre as vantagens e aplicações desse material? Confira os Top 5 artigos sobre EPS na construção civil!

Esse conteúdo foi desenvolvido pelo Blog Mundo Isopor: https://www.mundoisopor.com.br/sustentabilidade/como-fazer-a-gestao-de-residuos-na-construcao-civil

Ver todas