Abiquim 50 anos

Notícias

Sustentabilidade na expansão do novo Shopping Popular de Cuiabá

02/06/2014

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Associação dos Camelôs do Shopping Popular, está inserindo em sua construção medidas que vem de encontro as grandes demandas sociais, e com forte anseio por sustentabilidade

A construção civil tem vivido recentemente uma época frutífera, cujos aumentos nos ganhos, valorização de seus profissionais e expansão do mercado são só algumas das causas e conseqüências desta realidade, entretanto como todo setor, deve estar atenta às demandas da sociedade na qual está inserida.

As questões ambientais têm ocupado, gradativamente, cada vez mais espaço nos problemas dos países, desenvolvidos ou não, e a quantidade de resíduos deixados por construções, cerca de cinco vezes maior do que de produtos, tornou-se um dos centros de discussões da sustentabilidade.

Antenados com tudo isso e com a obra de expansão e modernização do novo Shopping Popular, a Associação dos Camelôs do Shopping Popular, está inserindo em sua construção medidas que vem de encontro a estas demandas sociais, como é forte o anseio por sustentabilidade o presidente Misael Galvão juntamente com a empresa Sogno Construção, propuseram em inserir na obra do novo shopping, vários moldes sustentáveis uma das medidas já iniciais é o Ecobloco.

O engenheiro da Sogno Adalberto da Costa Marques salienta e explica como é e como funciona o modelo.

“O Ecobloco é um tijolo de (EPS) isopor diferenciado, que é colocado e é feito estruturalmente, existe uma cavidade no tijolo do ecobloco, onde serão colocados ferros, e concreto para que a parede esteja estruturada, reduz a necessidade de se fazer mais pilares, então, conseqüentemente a obra se torna um pouco mais rápida, além disso a tembáem tem parte de climatização a de sonorização é anti-chamas, por isso que o ecobloco é excelente”. Explica.

Com isso há uma série de benéficos que acabam acontecendo uma, explica Adalberto que após colocar a parede com o ecobloco, inicia-se grandes ações na redução de poluentes e economias.

“Após colocado diminui 50% do ruído externo dentro, diminui consideravelmente o uso de climatizadores ou ar condicionado, outra situação é que a parte interna não é afetada com a temperatura externa, já usamos em algumas obras nossas, temos provas do quanto o ecobloco beneficia e muito a longo prazo e mais ainda o custo na economia da energia elétrica”, frisa.

Normalmente se desperdiça muito com resíduos de construção, em Cuiabá por exemplo muitas obras acabam alugando os bota fora para poder destinar seus entulhos para algum lugar pensando também nesta destinação o ecobloco tem suas vantagens explica o engenheiro.

“Com o ecobloco os resíduos da construção normalmente diminuirão cerca de 70 %, quando fazemos a obra com bloco de cimento ou com tijolo cerâmico nós temos muita quebra, os tijolos deste modelo são de 30 cm de altura por 1,19 metros de comprimento, são colocados calculadamente e isso tem um mínimo de sobra quase nada, porque ao final da parede se corta com uma cerra especial e reutiliza em outra parte, então temos grande economia de lixo de construção entorno de 70 a 80%.

O presidente Misael Galvão frisa em dizer que medidas serão tomadas em favor da sustentabilidade e que pretende sempre estar aderindo a modelos mais sustentáveis.

“A idéia partiu das reuniões que tivemos com a empresa e diretoria, já que iríamos fazer uma obra com esta magnitude porque não inserir projetos sustentáveis, poder com isso contribuir por um planeta mais limpo, tenho a certeza que um pouco de boas ações aqui outras ali, se tornarão grandes ações, e como se pode perceber, uma postura consciente nas mais diversas etapas da nossa construção, além de ser financeiramente viável, não só caracterizamos como uma associação preocupada com a situação do planeta, mas também queremos dar exemplos e poder conscientizar a todos para estas ações”. Explica Misael.

Ver todas