Abiquim 50 anos

Notícias

Termotécnica comprometida com a Logística Reversa

15/05/2014

O Programa de Reciclagem de EPS (isopor®) da Termotécnica insere-se em um processo que compreende desde a fase de produção da matéria-prima até o produto final, passando pela coleta do material, sua reciclagem e reintrodução no mercado.
Com a implantação da logística reversa das embalagens, a Termotécnica liderou todos os envolvidos na cadeia de consumo do EPS, agregando clientes, varejistas, concorrentes, fornecedores, importadores, catadores e consumidores. Atualmente possui uma rede de mais de 1.100 pontos de coletas e mais de 270 cooperativas.

Desde 2007, a Termotécnica já reciclou mais de 25 mil toneladas de EPS. Atualmente, a empresa recicla o correspondente a 30% do mercado de embalagens de EPS do país, superando desafios logísticos (a extensão territorial do Brasil) e econômicos (alto volume e baixo peso do produto). Este processo evita o descarte anual em aterros de quase 6 mil toneladas de embalagens a cada ano.

Alto potencial de reciclagem

Mesmo sendo um produto originário do petróleo, o EPS pode ser 100% reaproveitado. Não agride o meio ambiente, não gera gases de efeito estufa nem resíduos tóxicos, tanto na produção quanto na reciclagem, e consome poucos recursos naturais (água e energia) para ser transformado.

Antecipando-se a PNRS - Política Nacional de Resíduos Sólidos - a Termotécnica desenvolveu alternativas inéditas para a reciclagem do EPS, que era um material rejeitado nas coletas seletivas.

Foco na Sustentabilidade

O Programa de Reciclagem tem relevância no modelo de negócio da Termotécnica por que um dos objetivos estratégicos da empresa é ser referência em Sustentabilidade. Integrante da Global Packaging Alliance, que reúne os principais fabricantes do mundo para a troca de tecnologias e soluções em reciclagem, a Termotécnica tem a meta de estruturar nas principais regiões do país, a longo prazo, uma logística reversa adequada, com a população sabendo onde e como descartar suas embalagens de EPS.

A Termotécnica já investiu R$ 10 milhões na instalação de unidades de reciclagem em Manaus, Goiania, Indaiatuba, Rio Claro, São José dos Pinhais, Joinville e Sapucaia do Sul. A médio prazo, pretende instalar 14 novas máquinas compactadoras de EPS para ampliar a cobertura de reciclagem no Sul e no Sudeste do país.

Importância da conscientização

Materiais de linguagem lúdica, uma cartilha (http://www.termotecnica.ind.br/wp-content/uploads/2012/08/Cartilha_Termotecnica.pdf) e um vídeo, foram produzidos e divulgados pela Termotécnica desde 1999, para orientar a população, e especialmente as crianças, sobre a possibilidade de reciclagem do EPS.

A iniciativa foi considerada referência para a indústria no exterior, a partir de apresentações do Presidente, Albano Schmidt em congressos do setor químico e industrial em países como Argentina, México, Uruguai, Venezuela e na Europa.
Com este material começaram as prospecções de possíveis parceiros para o projeto, que ganhou corpo a partir de 2007 quando a Termotécnica iniciou o processo de Logística Reversa das embalagens de EPS.
Atualmente, a Termotécnica realiza a  divulgação do programa de reciclagem das embalagens junto às Secretarias Municipais de Meio Ambiente das regiões em que está inserida, estimulando-as a incluir o EPS na relação de produtos resgatados pelo serviço de coleta seletiva.
Contribui, ainda, com a elaboração do plano de manejo dos resíduos sólidos de sua cidade sede, Joinville.

Tecnologia valoriza o uso do EPS pós-consumo

Além de tecnologia para valorizar o uso do EPS pós-consumo, a Termotécnica desenvolveu rotas tecnológicas que permitem desde a reciclagem mecânica até a reciclagem química. Na reciclagem mecânica, o material coletado é empregado juntamente com EPS virgem para compor os produtos acabados sem que ocorra o comprometimento da qualidade e propriedades mecânicas.

O produto final, chamado Repor é vendido ao mercado para aplicações em rodapés e perfis, vasos, solados, decks de piscinas, entre outros. Produtos intermediários são introduzidos na produção da própria Termotécnica gerando blocos para a construção civil embalagens.
A reciclagem química do EPS é conduzida em reatores que operam em regime de batelada. A tecnologia consolidou um teor de 20% de substituição de estireno virgem por EPS pós-consumo, ganhos de produtividade pela redução do ciclo de reação e diminuição de um terço do consumo de energia e insumos.

Sobre a Termotécnica

A Termotécnica é a maior indústria transformadora de EPS da América Latina e líder no mercado brasileiro deste segmento. Produz soluções para Construção Civil, Embalagens e Peças Técnicas, Conservação, Agronegócios e Movimentação de Cargas.  
Aos 53 anos, sua trajetória é marcada pelo empreendedorismo e desenvolvimento tecnológico.

Ver todas